Sexta, 14 de Junho de 2024
22°

Tempo limpo

Belo Horizonte, MG

Turismo PROJETO ARROJADO

Turismo ganha arte muralista, em Pirenópolis (GO)

Instrumento de propagação da arte e ideias, o muralismo trouxe um toque à decoração dos ambientes da casa e traz uma mensagem em prol do desenvolvimento sustentável para a cidade

27/05/2024 às 09h26 Atualizada em 27/05/2024 às 16h32
Por: Redação
Compartilhe:
Foto: A piscina no espaço externo do Jardim Babilônia Residence tem aquecimento solar - André Viegas
Foto: A piscina no espaço externo do Jardim Babilônia Residence tem aquecimento solar - André Viegas

Movimento cunhado no início do século XX no México, o muralismo é a expressão de ideias por meio da arte em muros, paredes, monumentos. Inicialmente, foi uma ferramenta política, mas hoje se tornou uma forma de democratizar a arte, para além das galerias, e tem sido também abraçada pela arquitetura.

Em Pirenópolis, o empreendedor em hospitalidade Jacob Neylon trouxe o muralismo para desenvolver a primeira casa de temporada fora da Estância Shambala Piri, já conhecida por suas cabanas exóticas, para se aventurar em novo projeto dentro da cidade.

Batizada como Jardim Babilônia Residence, o imóvel recebeu pintura artística no muro e também em seus ambientes. A ideia foi proporcionar uma experiência de lazer, bem-estar, cultura e conscientização.

Nosso objetivo foi transcender através da arte, da cultura e da história, valendo-se do movimento muralista para chamar atenção para um momento de expansão imobiliária e crescimento do agronegócio que a cidade histórica vive, sendo importante chamar a atenção para a preservação do meio ambiente e o desenvolvimento sustentável”, conta Jacob.

A artista plástica Iara Vasconcelos e Melo foi convidada para desenvolver as pinturas, trazendo os elementos da natureza para as paredes da casa e completando, assim, a ambientação bucólica do lugar. As pinturas são inspiradas nos Jardins Suspensos da Babilônia, considerado uma das sete maravilhas da Antiguidade, e que dá nome à casa.

Demos este nome à casa em razão de ser também o nome do bairro, que é Jardim Babilônia. A partir disso, buscamos a força deste icônico lugar como inspiração para a decoração e para chamar a atenção para o nosso meio ambiente”, conta Jacob.

O espaço de convivência do Jardim Babilônia Residence agrega aconchego à natureza de maneira sustentável
André Viegas

No mural externo da casa, a artista fez questão de trabalhar com tons e cores mais fortes, dar um tom lúdico e gerar curiosidade no público. Dentro da casa, Iara conta que se inspirou em elementos do Cerrado e da Mata Atlântica, criando uma paleta própria escolhidas de acordo com a psicologia das cores.

O frescor das plantas espalhadas pela casa foi uma das ênfases para remeter à inspiração do projeto, garantindo assim bem-estar à casa com capacidade para receber quatro pessoas, em duas suítes, cozinha equipada com churrasqueira e varanda temática e uma piscina. A decoração é assinada pelo design de interiores, Nildo Alves.

Para trazer mais conexão ao tema da casa, e agregar um pouco de história aos hóspedes, QR Codes foram fixados nas paredes para quem quiser conferir mais curiosidades sobre os jardins suspensos da Babilônia. Na decoração, elementos rústicos típicos de Pirenópolis, como palha, móveis de demolição, se misturam a adornos da arquitetura da Antiguidade.

Para o lazer, a Casa Jardim Babilônia contará com uma piscina de pastilhas de cerâmica com aquecimento solar, acabamento em titânio e bancos de assento, um novo conceito da marca iGUi, em tons claros. O espaço de banho é ambientado com verde das plantas e painéis com pinturas orgânicas.

O projeto traz melhores condições de acessibilidade no banheiro com barras de apoio e sem degraus, portas do espaço possuem a largura maior que a tradicional para possibilitar a passagem de um cadeirante ou até mesmo pessoas com limitações de locomoção.

Um sistema de reúso da água, por meio de ecodreno, para captar as gotas de água provenientes do uso do ar condicionado, que podem ser reutilizadas na limpeza da casa e para aguar as plantas. “Parece pouco mas, com o uso diário do ar, são captados cerca de 50 litros, suficientes para toda a limpeza do imóvel, trazendo economia e a prática sustentável para o turismo”, informa Jacob.

Outra novidade são os amenities artesanais. Em parceria com a Gaia Natur, eles foram desenvolvidos exclusivamente para a casa, combinando aromas e texturas que conectam o visitante à beleza e à paz do Cerrado.

Sobre o Shambala Piri

A Casa Babilônia pertence ao Shambala Piri que disponibiliza cabanas e chalés para lazer de curta temporada na zona rural de Pirenópolis e agora inaugura a primeira casa dentro da cidade. Cada uma tem um projeto específico para proporcionar uma experiência diferente de hospedagem aos turistas.

Serviço: @shambalapiri/

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias